.. Filhotes Persa e Himalaia: Saúde e Doenças de Gato ***

Saúde e Doenças de Gato

Gatil no RJ- (21) 8881-0692     Peixe como alimento para gatos?  http://healthypets.mercola.com/sites/healthypets/archive/2012/01/03/fish-as-a-protein-source.aspx
Alimentação natural:  http://www.vetsallnatural.com.au/index.php?option=com_content&view=article&id=107&Itemid=113

Doenças Felinas:

  •  FELV - Leucemia Viral Felina - Oncovírus - a transmissão se dá por meio de  saliva, urina, leite, fluidos corporais . Alguns sintomas: tumores , anemia e diarréia - Existe vacina mas só deve ser aplicada a animais que vivem em risco , como por exemplo animais de rua ou em um lar onde exista outro infectado msmo que vivendo em ambientes separados, pois esta vacina pode levar ao desenvolvimento de sarcoma vacinal. É recomendado que seja aplicada na pata e não no dorso do gato. Não há cura para esta doença, mas em seu estágio inicial o uso de interferon pode melhorar a imunidade aumentando a qualidade e tempo de vida. Métodos para testar o gato: ELISA em laboratório, SNAP (uma forma de ELISA)em consultório veterinário e PCR. Tenho visto gatis que testam gatos por meio de SNAP. Estes testes são simplificados e com resultado em pouquíssimos minutos, por isso não me inspiram confiança. Os laboratórios também usam o método ELISA, mas possuem aparelhagem inexistente em consultório. Já o teste IFA procura um estágio mais avançado- quando o vírus já infectou as células. Estes testes procuram por uma proteína nas células do gato(P27) fabricada pelo vírus da FELV. Outro método é o PCR que procura o RNA do vírus e até o provírus. É um teste mais apurado e pode detectar o vírus quando os outros métodos obtêm um resultado negativo, mesmo em seu estado latente. Por exemplo, se o vírus está retido no DNA os outros métodos não encontrarão a proteína p27 e darão um resultado falso negativo. Neste caso o gato será portador do vírus para sempre e poderá ou não desenvolver a doença, mas infectará inclusive seus filhos, justamente porque o  vírus está no DNA. Este teste deve ser feito em um laboratório de extrema confiança e eu indico o UCDavis. Como é um retrovírus, ele pode ficar latente no DNA por vários anos após a infecção e só vir a se manifestar mais tarde. Então aquele lindo gato robusto, "saudável" e brincalhão pode estar infectado e vir a desenvolver a doença mais tarde. "Quem vê cara não vê AIDS"

  •  FIV - Aids felina - Lentivírus (família HIV) transmitido principalmente por mordida - O animal apresenta uma grande queda de imunidade e desenvolve várias doenças. Não há cura nem vacina. 

  • PIF - Peritonite infecciosa felina Coronavírus -Transmitido por secreções corporais e fezes - Alguns sintomas : Febre, falta de coordenação motora, Hepatite, Icterícia,  lesões de órgãos internos. É inacreditável como nos dias atuais ainda existe gente que não sabe direito como se dá a PIF e li até esta afirmativa "Um nome que faria mais sentido seria doenca imune induzida por estress". É uma doença viral e genética, pois somente algumas linhas de sangue possuem a capacidade de após entrar em contato com o Corona Vírus, fazer a mutação deste para o vírus da PIF. Qualquer gato  com genética que não tenda a fazer a mutação não a fará, independente de estresse. Já os que possuem a tendência, realmente a qualquer pequeno estresse podem mutar o vírus. É obrigação do criador retirar de reprodução gatos que já produziram algum filhote que fez a doença, pois outros casos surgirão nos outros filhotes e não há idade para que a PIF ocorra, podendo ser ainda filhote, com 2, 3 , 8 ,10 , 12 anos de idade. Esse filhotes vão gerar outros também com a tendência a fazer a doença e assim sucessivamente, fazendo com que cada vez sse torne mais difícil eliminar esta doença da raça. Se há herança genética o mais provável é que um dia essa triste doença apareça. Já vi criador dizer que não entrega filhotes para companhia castrados porque após a cirurgia o filhote pode desenvolver PIF. Então seria melhor que castrasse os pais, já que existe a possibilidade da linhagem desenvolver a doença. Pois após estar no novo lar o filhote poderá adoecer, sofrer e causar sofrimento à sua nova família. Um cuidado que todo criador também deve ter é antes de adquirir gatos reprodutores pesquisar bem sobre cada linha de sangue e verificar se houve algum caso de PIF. Se houver histórico da doença o melhor é partir para outra linha de sangue até encontrar uma que passe MUITA confiança. Gato lindo não é tudo, gato importado também não. É necessário um conjunto de qualidades: tipo físico, temperamento e saúde. Existem gatos importados com rins policísticos e outros gerando filhotes que morrem de PIF. Alguns criadores acham que importar é simples e depois sentem as consequências. Importar envolve muito além de escolher o filhote por foto, enviar o dinheiro e ir buscar no aeroporto. Importar envolve vários meses(para não dizer anos) de pesquisa e acompanhamento da linhagem que se pretende adquirir. É importante ainda ressaltar que como estamos no Brasil, um criador europeu vai preferir destinar seus melhores gatos a países europeus ou norte americanos e os piores para a América do Sul. Isto é fato. Se envia um gato com problemas para um criador da Europa, ele fica queimado e para cá não. Outros também ao perceber a inexperiência de quem está comprando enviam o que não conseguiriam vender para um criador mais esperto. Então importar não é para iniciantes ou para os empolgados e sim para os que preferem esperar e observar bastante a fim de adquirir gatos de qualidade. Para maiores esclarecimentos sobre esta terrível e assustadora doença leia mais neste site:     http://www.eupersamiau.com.br/p/pif-peritonite-infecciosa-felina.html

  • Panleucopenia  - Parvovírus - Por contato ou por dividir o mesmo ambiente. Altamente contagiosa, podendo o vírus ser transmitido pela roupa de pessoas que tocaram um animal infectado - Alguns sintomas são: vômitos, diarréia, depressão e desidratação. Doença muito agressiva inclusive em adultos vacinados. Dificilmente um filhote sem as 2 doses de vacina ética consegue ser salvo se contaminado por este vírus. Tanto a tríplice quanto a quádrupla dão proteção em relação a doença. A proteção vacinal jamais chega a 100%, mas a manisfestação de qualquer doença torna-se mais branda em animais vacinados, o que facilita a resposta ao tratamento.

 

Vírus do Complexo respiratório Felino -Com excessão da Clamidiose, a imunização da vacina tem um prazo de 3 anos, não havendo necessidade de vacinação anual.

  • Calicivirose - Calicivirus - Transmissível pelo ar, potes de água e comida, brinquedos. Sintomas: febre e úlceras na boca (língua e pálato) Em filhotes ainda não vacinados pode ser fatal.

  • Rinotraqueíte - Herpesvírus -  Por ar ou pelo ambiente-  secreção ocular, febre, depressão,tosse, inapetência, rinite,espirros, catarro . Sequelas :  pode causar Sequestro e úlcera de Córnea , rinite crônica, secreção ocular excessiva e  cronica. O animal vacinado apresenta estes sintomas em forma mais branda.

  •  Clamidiose felina - Chlamydia - É uma Zoonose . Sintomas:  Conjuntivite e sintomas respiratórios semelhantes aos do Herpesvírus em forma mais branda. Há quem diga que a vacina oferece proteção por apenas alguns meses. Por isso a vacina  mais indicada é a tríplice (Panleucopenia, Herpesvírus e Calicivírus)


 TOXOPLASMOSE (Toxoplasma Gondii)- É uma Zoonose

  - Porque culpar o gato?

Os gatos que caçam pássaros, ratos ou comem carne crua não inspecionada fazem parte do grupo de risco. Gatos criados dentro de casa que comem ração e carnes de procedência confiável, não serão contaminados. Humanos que não ingerem fezes de gatos pertencentes ao grupo de risco expostas ao ar por mais de 3 dias, nem consomem carnes cruas ou mal passadas ou alimentos mal lavados também não correm risco de contaminação.
 Após a infecção, durante cerca de duas semanas o gato elimina oocistos nas fezes. Para tornarem-se infectantes, estes oocistos precisam ficar expostos ao ar durante  três dias. Então se as fezes com oocistos forem ingeridas em até 2 dias após a excreção, o ser humano NÃO SERÁ INFECTADO. Pois não houve tempo de esporularem. Se alguém for contaminado pelas fezes de gato, certamente é alguém sem ao menos higiene básica. Outra coisa que a maioria das pessoas e também muitos médicos  não sabe é que o gato infectado eliminará os oocistos apenas uma vez na vida.
Os sinais e sintomas clínicos da toxoplasmose podem ocorrer em hospedeiros intermediários, inclusive os gatos, durante a fase aguda da infecção extra intestinal. As síndromes clínicas mais comuns são:polimiosite,deficiências neurológicas, retinocoroidite,inapetência, hepatite, pancreatite, granuloma intestinal, abortamento e moléstia neonatal,febre, linfadenopatia.
Se vc pretende engravidar e tem um gatinho resgatado das ruas, que provavelmente alimentou-se de caça, não se preocupe antes de testá-lo.:
Títulagem de anti-corpos entre  1:32 e1:64,é indicio  de  infecção  inativa. 
Títulagem de anti-corpos entre 1:128 e 1:256, geralmente indicativos de infecção  bloqueada. 
Títulagem até  1:512 é indicativo uma infecção ativa recente. 
Títulagem até 1:16 ou 1:32 indica um resultado negativo.
Caso seu gato tenha uma infecção ativa, basta que use luvas para limpar sua caixinha de areia e lave sempre muito bem as mãos. Seu bebê humano estará protegido. Não há necessidade de livrar-se do gatinho, como recomendam vários obstetras que não têm amor aos animais nem entendem sobre formas de contágio desta doença.Melhor será procurar um médico mais competente do que ficar nas mãos de um desses profissionais, que acabam estimulando a prática de um crime- o abandono de animais

Microsporum Cannis - É uma zoonose. Uma das poucas doenças que passa facilmente do gato para o homem e vice-versa. Infecta todo o ambiente, roupas de cama e outros animais causando lesões e/ou coceiras.Difícil de ser eliminado. Crianças são normalmente mais afetadas do que adultos por terem imunidade mais baixa. Infelizmente quando participo de algum forum sobre gatos e digo que não é normal os filhotes de gato Persa  desenvolverem fungos, alguns criadores me atacam revoltados como se eu os estivesse insultando ao invéz de me perguntarem quais são meus procedimentos para que nunca um filhote meu tenha sido vendido com fungo(crio gato Persa e Himalaia há mais de 10 anos). OK, não direi mais isso a criadores, mas aqui no meu canto afirmo: NÃO É NORMAL FILHOTE DE GATO PERSA APRESENTAR FUNGO. Acho um absurdo que algumas pessoas espalhem que todo gato Persa desenvolve fungo e com o estresse de mudança do ambiente, a imunidade cai e ele desenvolve. Porque então durante todos estes anos nenhum filhote que saiu daqui desenvolveu fungo pelo estresse da mudança de ambiente? Eu fico com a impressão que isso é para justificar o fato de entregarem filhotes ao novo lar com fungos. Mas desmoraliza a raça e não é verdade. Em vez de me atacarem e duvidarem de minha afirmação deveriam ser mais humildes e me perguntar sobre meu manejo com filhotes. Se funciona com os meus, certamente funcionará com os filhotes dos outros. Nunca me neguei em ajudar outros criadores e de fato tenho ajudado todos os que me pedem ajuda. Mas alguns revoltados e provavelmente tomados pela inveja por não terem resultados bons, preferem o ataque do que a humildade de pedir ajuda. Se vc procura um gatinho Persa não se assuste, pois se for adquirido em um bom gatil(corra dos comerciantes) ele não irá para vc com fungos. Antes de levá-lo para casa não tenha vergonha de abrir bem toda a pelagem a fim de procurar falhas e passar a mão na pele a fim de encontrar pequenas casquinhas, que também são sinal de fungo. Se ele já estiver apresentando qualquer sinal de fungo por menor que seja, então sim , ao mudar de lar pode ter sua imunidade diminuída pelo estresse e os fungos se alastrarão mais rapidamente infectando todo o ambiente e causando lesões tanto no gato quanto em pessoas e outros animais que entrarem em contato com ele.

Tenho escutado criadores dizer que somente alguns gatos de seu plantel "pegam" fungo e outros não. E sempre têm que tratar esses mesmos gatos. É exatamente aí que está o problema- eles não sabem que quando têm 1 único animal com lesões devem tratar todos os gatos que estiverem em contato com ele ou jamais se livrarão dos fungos e continuarão a vender filhotes com fungo. O fato de um gato não apresentar lesões não significa que não tenha sido contaminado. Existem os portadores assintomáticos que continuam infectando o ambiente e transmitindo fungos a outros animais e a pessoas. O próprio criador ou qualquer pessoa em contato com os gatos pode ser um portador assintomático e continuar infectando o gatil. TODOS, ABSOLUTAMENTE TODOS OS SERES EM CONTATO COM GATO  QUE APRESENTA LESÕES DEVEM SER TRATADOS. Outro problema que tenho visto ocorrer com frequência: o criador dá banho com shampoo anti fúngico no gato com lesões e assim que os pêlos começam a crescer no local das lesões, ele diz que o gato está curado e para o tratamento. Isso é um erro gravíssimo, pois o que se conseguiu foi inativar o fungo por um determinado período. Mais tarde o fungo retorna e "sempre são os mesmos gatos" , torna-se a aplicar o shampoo e assim que os pêlos voltam a cobrir as lesões para-se de tratar. Vão fazendo isso eternamente, vivem com o plantel infectado e acabam por causar resistência aos anti fúngicos aplicados. Depois atacam quem faz direito e tenta limpar a imagem da raça Persa.  O TRATAMENTO É LONGO e o ambiente também deve ser tratado constantemente, pois a todo momento os gatos eliminam fungos no ambiente, sofás, arranhadores....Inclusive arranhadores de pelúcia devem ser jogados no lixo. As toalhas e mantas devem ser colocadas de molho em cloro. O ideal é sempre usar branco para que possa ser desinfetado com cloro.

Outro ponto importante:  TODOS os gatos infectados devem ser retirados de reprodução até que estejam curados. O macho passa fungos para a fêmea durante o acasalamento. Após o parto a imunidade cai e os fungos se aproveitam disso. Toda a ninhada será infectada. Daí vem a triste história de dizerem que é normal o filhote desenvolver fungo. Não é normal, eles desenvolvem porque adquiriram da mãe. Se  eles não tivessem contato com um portador  não poderiam  desenvolver fungo. GATO PERSA NÃO NASCE COM FUNGO! 
Imunidade- no pós parto a imunidade da gata cai. A imunidade dos filhotes também é baixa após os 30 dias de idade, quando o efeito  do colostro começa a diminuir. Gatos com baixa imunidade estão obviamente mais propensos ao desenvolvimento de doenças. Mas independente de imunidade, o gato Persa ou Himalaia somente desenvolverá fungos se fizer contato com eles, i.é., se o gatil ou o novo lar estiverem infectados. Se dentro de pelo menos 15 dias após a compra o filhote apresentar lesões, certamente já foi adquirido contaminado.
É um verdadeiro absurdo vender filhotes com fungos. O tratamento correto é estressante e dispendioso.
O artigo lhe foi útil? Então dê sua retribuição clicando nos botões abaixo para compartilhar. O Universo agradece.


3 comentários:

sergioalmada disse...

Bom dia. Estou te escrevendo este email
pedindo a sua ajuda. Moramos no litoral de
São Paulo, em
Itanhaém e temos muitas dificuldades em encontrar um veterinario
que
entenda de gatos persas. Todos parecem só saber tratar de
cães. Nós temos dois gatos
persas himalaios de 7 e 8
anos. A femea Sophie tem 8 anos e ultimamente não tem mais
conseguido pular pra cima da cama. Ela segura no lençol e escala
usando as unhas.
Parece que não consegue mais saltar. Eu acho
que pode ser reumatismo, mas nao encontro
nenhuma
informação na internet sobre isso e tenho ate medo de levar
ela aqui em um
veterinario porque vão ficar chutando
doenças pra ela. Ela é uma gatinha muito saudavel
carinhosa, come bem, bebe bastante agua e dorme bastante. Você pode
me ajudar?
obrigadao

Margarete barbosa disse...

Boa tarde Célia, é com grande prazer que leio seus textos.
Amo gatos, tive uma gata persa que viveu 13 anos, e nos deixou sempre saudosos do seu carinho. Em janeiro de 2013 compramos outro gatinho, dessa vez um macho. Infelizmente não encontrei seu site antes, só encontrava gatil de Sao Paulo ou Santa Catarina.. Até que apareceu um gatil aqui do RJ. Lamentável dizer que o gatinho desenvolveu fungos e até hoje estou tratando. Eu e minha filha pegamos. Lamentável ter acreditado na senhora que o vendeu, ele não foi barato. A mesma disse que isso passaria logo. Acreditamos, pois minha gata, também persa, nunca teve fungos. A vontade de ter outro gato é grande, mas o trabalho que tive e ainda tenho, me deixam com medo, principalmente por que não quero que o próximo gatinho desenvolva fungos.
Não seria justo com ele. Parabéns pela honestidade, e agradeço o esclarecimento, mesmo que indiretamente.

Celia RJ Gatil disse...

Margarete, não te aconselho a comprar outro gatinho agora, pois o tratamento ficará ainda mais difícil com mais um peludo contaminado. Tenha paciência e espere até que os fungos estejam realmente exterminados. Vc nem imagina o que eu passei após comprar um gato com fungos. Fui enganada e comprei lebre por gato. Quem me vendeu o gato sabia que minha criação era toda certinha, super saudável. Chego a pensar que foi de propósito que a pessoa enviou o gato com fungos. Neste meio há muita maldade, o que somente descobri após já estar na gatofilia. Eu e todos os meus gatos, incluindo os filhotes disponíveis, fomos contaminados. Retirei todos de venda.Foi um tratamento dispendioso e estressante por mais de 2 anos. Nada matava aquela cepa de fungos resistente. Estive bem próxima de parar de criar gatos, pois cheguei à exaustão e os fungos continuavam fortes. Tenho verdadeiro pavor de fungos e fico muito chateada quando alguém diz que "é normal". Não é. Se fosse verdade , a raça já estaria extinta. Pois quem quer um animal de estimação que contamina humanos e qq ambiente que ele entre? Imagino que ninguém, só vendedor de gato esperto que para se livrar da culpa de vender gatos doentes, culpa a raça. Boa sorte e desinfete o ambiente diariamente e até que os fungos sejam exterminados não deixe os gatos terem acessoa a colchões e estofados ou vc jamais se livrará dos fungos completamente. Eu troquei meu colchão 2 vezes e troquei a cama também, que era lindíssima. Até de tapetes bons eu me desfiz. Somente após estas medidas, além de outras, consegui acabar com os fungos. Trate todas as pessoas em contato com os gatos e com o ambiente ou se tornarão portadores assintomáticos, que passarão a reinfectar os gatos .

Tabela

Defina a Cor Dos Pais Para Saber As Possibilidades De Cores Dos Filhotes

/>

 

ColorCarried Genes Other GenesGenotype
Sire:
Tabby
Chocolate
Dilute
Homozygous Tabby
Dam:
Tabby
Tortie
Chocolate
Dilute
Homozygous Tabby


Os Filhotes Terão As Seguintes Cores:

MaleFemaleMaleFemale
Black Brown Tabby
Blue Blue Tabby
Chocolate Chocolate Tabby
Lilac Lilac Tabby
Red Red Tabby
Cream Cream Tabby
Black-Tortie Black-Tortie Tabby
Blue-Cream Blue-Cream Tabby
Chocolate-Tortie Chocolate-Tortie Tabby
Lilac-Cream Lilac-Cream Tabby

Proibida a Cópia e Reprodução- Adaptado por Célia Duque (gatillucaslove@gmail.com)

TRY

Defina a Cor Dos Pais Para Saber As Possibilidades De Cores Dos Filhotes

ColorCarried GenesOther GenesGenotype
Sire:
Tabby
Chocolate Dilute Homozygous Tabby
Dam:
Tabby Tortie
Chocolate Dilute Homozygous Tabby
Os Filhotes Terão As Seguintes Cores:
MaleFemale MaleFemale
BlackBrown Tabby
Blue Blue Tabby
Chocolate Chocolate Tabby
LilacLilac Tabby
RedRed Tabby
Cream Cream Tabby
Black-Tortie Black-Tortie Tabby
Blue-Cream Blue-Cream Tabby
Chocolate-Tortie Chocolate-Tortie Tabby
Lilac-Cream Lilac-Cream Tabby

Proibida a Cópia e Reprodução- Adaptado por Célia Duque (gatillucaslove@gmail.com)